Feeds:
Posts
Comentários

Archive for agosto \20\UTC 2011

PIECES OF ME

PIECES OF ME

Coração pequeno – conflito entre duas lealdades… Como deixar uma pessoa muito querida se ferrar, sem avisá-la e sem trair outra pessoa, que pretende ferrá-la? Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come… Em ambos os casos, violo meus princípios… Tudo que eu NÃO precisava no dia da Estrela da Semana, a tão esperada Sexta-Feira… Meu T.G.I.F. perdeu seu encanto… 😦

– Postei isso ontem às 15:18 no Facebook…

De  imediato, um grande amigo me perguntou o que estava acontecendo… Lá se iam 4 horas quebrando a minha cabeça pra ajudar um amigo, sem violar  meus princípios e sem trair outro amigo… Não podia, por uma questão de ter dado minha palavra, contar o caso em detalhes, porque, mesmo sem conhecer meus amigos, eu dei minha palavra a um deles de não contar a ninguém e o outro nem sabia que eu estava por dentro do assunto, estava “de alegre”. Confuso isso, não? Mais confusa estava eu, sem saber o que fazer… Meu coração tão pequeno e uma vontade imensa de chorar. O fato é que a confiança que meu grande amigo deposita em mim, realmente me impressiona. Frases do tipo – Le, entendo que você não pode me contar, mas sei que você vai encontrar um jeito de me falar sem trair a confiança de seus amigos, você é uma …. (não posso citar esse apelido, sem expor a pessoa, sorry), vai achar uma luz, você sempre consegue… e outras frases que também não posso citar pra não expor meu grande amigo, companheiro diário, sempre junto e embolado, em vários momentos de alegrias, tristezas, gargalhadas e choros, euforia e angústia…

Ao final da tarde, consegui achar uma solução que não violasse meus princípios e promessas feitas… Enfim, conseguir ter paz, a dor-de-cabeça foi embora como se não tivesse surgido… E eu me senti muito feliz, afinal eu ia poder ajudar duas pessoas muito queridas e nenhuma das duas iria ter que passar por nenhuma situação delicada, nenhum sofrimento e o melhor de tudo era que tudo ia ficar bem… Menos eu…

Nesse processo de tentar achar uma solução, meu coração sangrava muito porque, ao ser procurada por um dos meus amigos, tomei conhecimentos sobre o outro que me decepcionaram muito…  Eu realmente o tinha em mais alta posição. Uma pessoa cujos gostos pra várias coisas são muito similares aos meus, uma pessoa pela qual eu tenho o maior respeito e admiração tanto profissionalmente tanto quanto pela pessoa, pelo menos a “imagem” que eu tinha… O mundo não está nem aí pra suas decepções e dores, então armei meu mais belo sorriso, me enchi de uma força interior que me sugou toda e qualquer energia e continuei trabalhando e vivendo como se nada estivesse acontecendo… Conversei com várias pessoas muito queridas até o “turning off” e simplesmente não teve sequer uma criatura que sequer desconfiasse, o que me deixou muito feliz e orgulhosa de mim. Vamos combinar que foi uma vitória expressiva… Nada nem ninguém poderia fazer nada por mim mesmo… Minha dor é minha dor, de mais ninguém, cabe a mim superá-la… A decepção foi minha, cabe a mim superá-la…

Quem me conhece sabe que sou amiga até debaixo d’água, me entrego às minhas amizades sem medo, inteira, sincera, de corpo, coração e alma e não poupo esforços pra ajudar aos meus amigos, quando eles precisam de mim… Nem precisa pedir, eu ajudo sem nem perceber que estou ajudando… A verdadeira ajuda é espontânea, desinteressada, feita com o coração e a alma… Sem esperar nada em troca, muito menos gratidão… É essa a razão pela qual fico tão constrangida quando alguém me agradece… Não faço pra receber agradecimentos ou gratidão… Faço porque sou assim, do meu jeito, sincero e sem o menor interesse, nem melhor nem pior que ninguém… apenas Letícia… As minhas palavras são sinceras e são verdadeiras… Não engano, não prometo, se não posso falar algo de bom, quedo-me silente e tento oferecer o apoio da minha amizade… Se não posso ajudar, não atrapalho… Aprendi a ser tolerante, a ter paciência, mas ainda não sou zen total e acho que nunca conseguirei. rs Sigo dignamente pela vida, avante sempre e tentando fazer e ser o melhor que eu posso porque acredito que a vitória está na jornada, é como se chega que importa, não só chegar lá… onde quer que seja o “lá”…

Durante muito tempo não sabia porque a decepção de/com um amigo doía tanto, porque dói mais que o término de um namoro, de um casamento, de relacionamento afetivo/amoroso, seja lá como queiram chamar… A resposta veio de uma das frases que eu tanto que eu cito e adoro, de Mário Quintana – “A Amizade é um Amor que nunca morre”… Amizade é amor, e amor não morre, amor é alegria e dor… E não descartamos um amigo como quem troca de roupa…

A minha ajuda infelizmente não foi absorvida por meu amigo, que seguiu adiante, o que aumentou ainda mais a minha decepção… O meu amigo que me pediu ajuda, e a qual prestei com o coração apertado e dolorido, mas uma ajuda mais do que sincera, porque veio de dentro de mim… E vou continuar ajudando essa pessoa tão querida e especial… Porque a amo e vou ajudar meu amigo tão parecido comigo, tão concha, tão marrento, tão birrento, tão avesso às intromissões, como exatamente eu sou, mas que eu amo, porque embora esteja muito decepcionada, não posso ser diferente… Não se abandona os amigos, mesmo quando essa pessoa não retribua na mesma moeda e tenha mentido ao proferir palavras não sinceras sobre a nossa amizade… Talvez eu não tenha sido feita de boba… Nunca saberei porque nunca poderei falar sobre o assunto com meu amado e especial amigo, sem trair a confiança de outro, coisa que nunca farei…

O mais triste parte 1 é que não vou poder impedir a queda dele… Que merda de amiga sou eu que não consegue impedir um amigo de quebrar a cara, mesmo que ele mereça por ter sido tão idiota? Por que ele não entendeu uma ÚNICA palavra que lancei? Dizem que pra bom entendedor meia palavra basta. Tem gente que nem com uma palavra inteira, nem com o dicionário melhor e mais completo…

E lá se vai mais uma decepção pra somar… E eu que sou literal? Aff! Me poupe… Não existe nada de literal em mim, a eterna divagadora, a que voa e viaja mesmo sem asas e sem vassouras porque sou Surreal Flex… E lá se vai eu perdendo meu sábado pensando se vou cair, porque se um amigo cai, a gente cai junto; pensando se algo surreal pode vir a acontecer e por obra do acaso ou da ficha caindo, meu amigo se toque e pare o trem… Torcendo pra que eu não seja questionada a respeito de uma frase, que lancei no meio de outras, com uma palavra-chave porque não posso esclarecer…

O mais triste parte 2 é que nunca vou poder fazer o que os amigos sempre fazem, falar francamente, abrir o jogo, dizer que eu descobri sobre a falta de sinceridade na amizade, nas mentiras ditas, da minha decepção, da minha dor… Nem vou poder dizer o quanto eu sofri por essa pessoa, tentando achar um jeito de ajudá-la, tentar evitar que ela recebesse a galinha pulando nos peitos, mesmo que merecesse… Nem vou mudar minha forma de agir, porque eu estaria expondo outra pessoa, além da minha amizade, essa sim, sincera…

Enquanto comemoro a vitória merecida de um, choro a derrota do outro e estarei sendo sincera em ambos os sentimentos… Ajudei um a vencer de forma digna, mas não consegui evitar que o outro perdesse, não por falta de ajuda, isso terá que ser suficiente pra mim… Como eu torci por um zero a zero no final, o empate seria a vitória… Fui vitoriosa por um amigo e derrotada duas vezes por conta do outro – pela derrota dele e pela minha própria…

O mais triste parte 3 é que não posso procurar a única pessoa que eu poderia falar mais ou menos sobre o assunto porque não posso interromper uma vitória conquistada depois de meses de luta de meu amigo de todas as horas… Sei que na segunda-feira ele ficará muito chateado quando souber que não liguei pra falar que não deu certo… Desculpe, meu amigo querido juntos sempre e embolados… Não posso te tirar do céu agora nem interromper sua alegria, sua paz e amor tão merecidos… Mas quem sabe deu certo e eu me preocupei à toa?

Mas não seria Letchyzinha se depois de tudo não colocasse um sorriso no rosto e dizesse a plenos pulmões – Avante sempre, vamos que vamos! Não sou de jogar a toalha… A luta continua e tenho certeza que o melhor está chegando… Uma Surreal Flex não desiste nunca, voa sempre e sabe que a cada instante  acontecem coisas maravilhosas, é só manter a mente, o coração e os braços abertos e saudar com alegria e amor os pequenos milagres cotidianos porque sempre vai valer a pena viver, principalmente quando a gente sabe que faz o melhor, que faz a nossa parte…

L.A.A.

Letícia Viana

SSA/BA, 20/08/2011 – Saturday night feelings

Read Full Post »